'Primeiro as Pessoas, Não as Finanças!' - Todos a Nice, de 1 a 4 de Novembro

30-10-2011 22:11

 

Intitulado ‘Primeiro as Pessoas, Não as Finanças’, será realizado, entre os dias 1 e 4 de Novembro o Alter-Fórum, em Nice, França. A intenção do evento, organizado pela Associação Francesa G8G20, é se contrapor ao encontro do G20 (grupo das 20 maiores economias), que ocorrerá em Cannes, também na França, nos dias 3 e 4 de Novembro.

«O principal objectivo é que eles (membros do G20) percebam que nós também estamos ali (ou que não estamos longe – porque todo o Alter-Fórum terá lugar em Nice, a cerca de 50 km de Cannes, que será uma cidade fantasma nesses dias, em razão de medidas oficiais de segurança) e que nós os estamos ouvindo, que acompanharemos a implementação daquilo que decidirem e que não hesitaremos em denunciar o que deixarem de fazer», declara Gildas Jossec, integrante da Associação Internacional de Técnicos, Especialistas e Pesquisadores (Aitec, na sigla em francês), uma das 40 organizações que formam a Associação Francesa.

A activista destaca que o mais importante no Alter-Fórum é dialogar com as pessoas e fazer com que avaliem as decisões tomadas pelos países mais ricos. «O G20 está a promover políticas que exercem um efeito directo sobre a vida de pessoas reais. Desta vez, a questão não são filmes em Cannes, mas sim vida real! E as decisões exercerão efeitos sobre as pessoas dos países membros do G20, como também sobre todas as outras pessoas. Por esta razão o nosso tema será ‘Primeiro as pessoas, não as finanças’», ressalta.

Logo no dia 1 de Novembro, haverá uma caminhada rumo a um estádio da cidade, onde haverá um show, seguido de uma reunião pública, aberta a todos. Já nos dias 2 e 3, a programação segue com conferências, debates, mesas redondas e entrevistas colectivas. No último dia (4), que coincide com o final da cúpula do G20, a Associação Francesa programou uma entrevista colectiva, que talvez ocorra em Cannes.

Seis temas, simbolizados por palavras de ordem, norteiam as actividades do Alter-Fórum – Parem a austeridade, um fim à desigualdade (austeridade, emprego, direitos sociais, bem-estar, dívida); As pessoas, não o mercado (regulamentação financeira e dívida); Mudem o sistema, não o planeta (meio ambiente, desenvolvimento); Não joguem com a nossa comida (agricultura, alimentos); Indignados, Rebeldes, Solidariedade (democracia, lutas na região do Mediterrâneo, direitos humanos); e Eles são 20, nós somos biliões (governança global).

Entre as críticas contundentes formuladas contra o G20, a primeira diz respeito à ilegitimidade do grupo em tomar decisões que afectam todo o planeta. «20 países entre os mais ricos do mundo decidem as orientações políticas para o mundo. Os membros não foram eleitos para se tornarem parte do G20. Estão ali porque são os mais ricos do mundo! Portanto, antes de mais nada, o G20 é ilegítimo», frisa Gildas.

Os organizadores do Alter-Fórum apontam que as decisões do G20 não são sustentáveis para combater a crise financeira, pois inscrevem-se nas «velhas receitas» de austeridade, fracassadas em outras regiões. «Intervenções do Banco Mundial e do FMI não funcionam. Não funcionaram na América Latina. Não funcionarão na Grécia, pelo menos para as pessoas, talvez para os bancos», declara.

Por fim, o Alter-Fórum proporá alternativas, que serão apontadas pelos participantes tanto nas ruas, em protestos, como nas oficinas e conferências. «Elas (alternativas) existem. Vejamos o Imposto sobre Operações Financeiras: quando começamos a desenvolver a ideia de tributar as operações financeiras há cerca de 10 anos, fomos chamados de 'doidos'. Actualmente, a Comissão Europeia planeia implementar esta medida! 10 anos depois!», exemplifica.

Apesar de a coordenação do Alter-Fórum estar a cargo da Associação Francesa, cerca de 100 organizações devem associar-se ao processo. Grupos da sociedade civil, movimentos sociais, ONG’s e sindicatos, tanto em Nice, como em todo o Mundo, podem registar uma actividade como parte do evento. Para isso, basta enviar e-mail para contactg8g20@altermob.org e solicitar formulário de inscrição.

Actualmente, o G20 é composto pelos países do G8 – Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Reino Unido, Itália, Japão e Rússia – mais África do Sul, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, China, Coreia do Sul, Índia, Indonésia, México e Turquia e a União Europeia.

Texto editado a partir do original em IndyMedia. Mais informações em http://www.mobilisationsg8g20.org/?lang=fr .

Voltar